Manu por Manuela Souza

manu_editorial_recortada2

“Eu ando em busca do que me tira o chão, embrulha o estômago e me deixa sem ar. Eu quero a gargalhada, as conversas leves e o sono tranquilo. Quero a saudade repentina, o abraço possível e a felicidade das coisas miúdas. Nada menos que isso me interessa […] Se for para ser, que aconteça logo e que me encante sem delongas, porque depois que eu for, não tem mais volta. O meu caminho é só de ida”.